Onde foi gravado O Auto da Compadecida

Aclamada como uma das melhores produções do cinema nacional, a minissérie transformada em filme O Auto da Compadecida é adorado por milhares de pessoas ao redor do nosso país. No entanto, muitas delas não sabem onde foi gravado O Auto da Compadecida. 

Nesse caso, já adiantamos que a obra foi gravada no sertão nordestino, sendo tão famosa que acabou dando um apelido a cidade onde as gravações foram feitas, que passou a ser conhecida como “Róliude Nordestina”.

A minissérie conta com nomes de peso no cenário artístico nacional, como Selton Mello, Matheus Nachtergaele e vários outros. A seguir, falaremos um pouco mais sobre esta obra e algumas informações sobre os seus bastidores. 

Portanto, se você quer descobrir onde foi gravado o Auto da Compadecida e ficar por dentro de tudo que rolou nos bastidores, continue a leitura do texto abaixo e saiba mais.

Onde foi gravado O Auto da Compadecida?

Para matar a curiosidade de todos vocês, saibam que a minissérie mais famosa do Brasil foi gravada na cidade de Cabaceiras, no Estado da Paraíba. Ela ficou tão famosa que foi apelidada como a “Roliúde Nordestina”, graças a toda projeção que a minissérie da Globo trouxe para o lugar. 

A escolha dos produtores foi muito simples, tendo em vista que o cenário já estava pronto para a gravação. Isso porque a região possui um índice muito baixo de chuvas anuais, bem como vegetação seca, típico do bioma Caatinga.

Além do mais, todos os moradores do local estavam dispostos a colaborar com as gravações da minissérie, inclusive emprestando as suas residências e outros objetos para decorar as cenas. 

Há pouco mais de 20 anos, a Globo e sua comitiva de atores renomados partiu do Estado do Rio de Janeiro para transformar Cabaceiras em uma das cidades mais famosas do sertão nordestino.

No entanto, não se engane achando que O Auto da Compadecida foi a única produção feita na cidade. O apelido de “Roliúde Nordestina” não é atoa. Isso porque a cidade já foi palco de mais de 30 produções, que incluem longas, documentários, filmes e minisséries. Foi graças a produção de Ariano Suassuna que o fluxo de pessoas e visitantes aumentou, melhorando a renda de toda a população.

Bastidores de O Auto da Compadecida 

Para que fosse possível gravar o filme na cidade, foi necessário adaptar grande parte das casas e outros estabelecimentos da região. Para isso, os cabos telefônicos expostos tiveram que ser escondidos, bem como a igreja e outras casas necessitaram de uma pintura. 

Além do mais, todos os postes foram trocados e a cidade ganhou uma nova iluminação.

Para deslocar toda a equipe do Rio de Janeiro até o local, foi necessário alugar mais de 12 casas na região, assim como um hotel completo na cidade de Boqueirão, que fica há cerca de 20 quilômetros de distância de Cabaceiras. 

Além disso, duas fazendas também foram usadas para acomodar a equipe que contava com 65 profissionais, mais o elenco do filme.

Figurinos utilizados no filme

A pessoa responsável pelos figurinos da equipe, o estilista Cao Albuquerque utilizou diversos estilos que mesclavam a cultura nordestina e o estilo arcaico. 

Todas as vestimentas que os personagens utilizaram no filme tiveram que passar por um processo de pós produção, ou seja, o estilista juntou todas e as jogou em um caldeirão. 

Além do mais, tingiu e lixou várias vezes para que elas ficassem com um visual de tecido desgastado.

Um dos protagonistas do filme, o ator Marco Nanini, que interpretava o cangaceiro Severino, utilizou um olho de vidro falso, bem como algumas marcas feitas em látex no seu rosto. 

Ao todo, a sua fantasia, incluindo a indumentária e peruca chegava a um total de 8 quilos. Já o outro protagonista do filme, Matheus Nachtergaele, utilizou apenas uma prótese nos dentes, imitando um aspecto desgastado, irregular e amarelado da sua arcada dentária.

Além do mais, foi necessária a utilização de maquiagem para dar um aspecto escuro a sua pele.

Curiosidades sobre as gravações

O protagonista da minissérie, João Grilo, foi interpretado pelo ator Matheus Nachtergaele. O personagem era bastante conhecido por encontrar alternativas para adversidades enfrentadas na vida, mesmo diante de tanta miséria. 

Para isso, ele utiliza meios vistos como “errados” pela população. Isso quase o fez ser condenado ao inferno no final da obra. De toda sorte, ele pode contar com a ajuda de Nossa Senhora Aparecida para absolvê-lo dos seus pecados.

Mais um personagem de grande sucesso na obra foi Rosinha. No entanto, na obra original do autor Ariano Suassuna, a personagem apenas era citada. Porém, na minissérie, ela ocupou um lugar de destaque na obra. 

No ano de 2000, O Auto da Compadecida ganhou uma reedição para ser lançado nas telas do cinema. Isso fez com que mais de 2 milhões de telespectadores fossem até as telonas para assistir a minissérie. 

Em toda história, esse foi um dos maiores números já vistos, superando grandes sucessos do cinema internacional que foram exibidos em nosso país.

O formato de filme do Auto da Compadecida foi apresentado no ano de 2002, por meio do Festival Nacional, na programação noturna de TV da Globo. O programa foi totalmente dedicado apenas às produções do nosso país. 

Além do mais, a minissérie chegou a ser vendida para Portugal, ganhando, assim, projeção internacional.

Prêmios que O Auto da Compadecida ganhou

O primeiro prêmio que a minissérie ganhou foi em 1999, concedido pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte). 

Com isso, ela angariou o Grande Prêmio da Crítica. Em nosso cinema, a minissérie ganhou mais quatro prêmios, entre eles: melhor roteiro, melhor diretor, melhor ator e melhor lançamento. 

Já no exterior, O Auto da Compadecida foi eleito pelo júri popular como o melhor filme nacional.

Elenco do filme

Virginia Cavendish como Rosinha;

Selton Mello como Chicó;

Rogério Cardoso como Padre João;

Paulo Goulart como Major Antonio Morais;

Maurício Gonçalves como Jesus;

Matheus Nachtergaele como João Grilo;

Marco Nanini como Cangaceiro Severino;

Luis Melo como Diabo;

Lima Duarte como Bispo;

Fernanda Montenegro como Nossa Senhora, a Compadecida;

Eurico Enrique Diaz como Capanga;

Diogo Vilela como Padeiro;

Denise Fraga como Dora;

Bruno Garcia como Vicentão; e

Aramis Trindade como Cabo Setenta.

Agora você já sabe onde foi gravado O Auto da Compadecida, conte isso para outras pessoas, compartilhe este texto.

Onde foi gravado O Auto da Compadecida