Como fazer o crachá ideal para sua empresa?

Saiba quais as principais especificações e materiais para fazer a identificação dos funcionários.

Como fazer o crachá ideal para sua empresa

O crachá é um item muito importante para as empresas. É uma forma de identificar o funcionário com foto, nome e cargo. Além disso, esses cartões também fazem parte do sistema de segurança, separando quem trabalha no local de quem é visitante.

O problema é que os crachás não podem ser feitos de qualquer forma, justamente pelas questões de segurança. Existem vários critérios que precisam ser respeitados para que ele seja realmente um material de escritório legitimado e reconhecido.

Se você ainda não sabe como fazer isso da forma correta, descubra agora com essas dicas que vamos te dar. Nosso objetivo é mostrar como produzir o crachá de identificação ideal para sua empresa.

Quais informações devem estar no crachá?


O primeiro passo é reunir toda a equipe responsável pelo setor de Recursos Humanos da empresa. É aí que é possível decidir quais informações devem ou não ser colocadas no crachá.

Para tanto, alguns dados importantes não podem faltar, tais como:

  • logotipo da empresa;
  • nome completo do funcionário;
  • foto em boa resolução do empregado;
  • setor de trabalho;
  • alguma marca de validação, como números, validade e até código de barras.

Existe ainda a possibilidade de acrescentar uma minibiografia contendo as principais informações sobre o funcionário. Mas não é tão comum e nem extremamente necessário.

Qual deve ser o formato do crachá?


O recomendado na hora de produzir é seguir a norma ISO CR80, que é estabelecida pela Organização Internacional de Padronização (ISO). Essa regulamentação tem o objetivo de melhorar qualidade tanto dos produtos quanto dos serviços.

Essa norma estabelece que os crachás devem ser confeccionados com as seguintes dimensões: 54x85,6mm. O tamanho é semelhante ao de um cartão de crédito.

Qual o melhor design?


A funcionalidade é importante, mas um design bonito também impacta positivamente. É interessante que haja um equilíbrio entre estética e utilidade, e que um não sobreponha o outro.

É necessário que as informações essenciais do crachá estejam bem claras e nítidas para os observadores, e isso pode ser feito com a ajuda de um design funcional Além disso, ele deve ser apresentável.

Na hora de montar, existem elementos que não podem faltar, como cores, formato e tipo de impressão. No geral, o design precisa ser limpo, harmônico e com destaque para a paleta da empresa e o logotipo também.

Quem olhar para o crachá precisa ter tudo ao alcance dos olhos, de forma simples e de fácil identificação. Ou seja, não precisa se esforçar tanto em designs inovadores e muito diferentes.

Escolha materiais com maior durabilidade


Outro ponto interessante para pensar é em relação à durabilidade. Não compensa ficar refazendo os crachás com frequência, muito menos de pouco em pouco, até porque muitas empresas oferecem descontos para confecção em quantidades maiores.

Por isso, é preciso investir em materiais mais resistentes e que vão durar mais tempo. O crachá de papel, por exemplo, não é ideal. Ele não só pode rasgar e molhar, como é suscetível à falsificação.

Já o PVC pode ser uma ótima opção tanto em durabilidade quanto em custo-benefício. A impressão pode ser feita tanto por uma empresa especializada quanto com uma impressora específica.

Quais elementos de segurança acrescentar?


Para reforçar a segurança dos crachás, é possível acrescentar alguns elementos extras, como código de barras, selo holográfico e chips. Isso impede falsificações e o uso indevido do material.

Viu só quantos detalhes para fazer um crachá bonito, funcional e que garanta a segurança da sua empresa e dos funcionários? Agora você está preparado para criar uma identificação que seja bonita esteticamente e que contemple as normas de regulamentação desse tipo de material.
Postagem Anterior Próxima Postagem