16 sinais que podem indicar câncer no fígado

O colangiocarcinoma é um tumor maligno do tipo raro. A doença se desenvolve nos ductos biliares, que é um tubo conector entre o fígado e vesícula biliar até o intestino. O ducto biliar faz com que a bile, que é produzida no fígado e armazenada na vesícula biliar, consiga chegar até o intestino delgado.

sinais que podem indicar câncer no fígado

Este tipo de tumor pode acometer qualquer região dos ductos biliares. Em cada parte, a doença recebe uma classificação diferente (intra-hepático, perihilar e distral). A localização da doença influencia no tipo de cirurgia que o médico escolherá para fazer o tratamento da neoplasia.

Embora seja uma doença rara, o câncer nesta região do fígado pode trazer alguns sintomas característicos. Nós devemos estar sempre de olhos abertos aos sinais que nosso corpo emite.

Sintomas que podem indicar um câncer no fígado


Dentre os principais sintomas que podem significar que você está com a doença, aqui vão 16:

  • Perda de peso;
  • Ausência de apetite;
  • Sensação de inchaço após refeições leves;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Fígado aumentando de tamanho;
  • Baço aumentando de tamanho;
  • Dor no abdômen;
  • Inchaço ou acúmulo de líquido no abdômen;
  • Coceira;
  • Febre;
  • Pele e mucosas amareladas;
  • Veias da barriga dilatadas e visíveis a olho nu;
  • Hematomas;
  • Hemorragias;
  • Agravamento de hepatite crônica ou cirrose.

Alguns tumores na região do fígado também são capazes de produzir hormônios que atingem outros órgãos. Nestes casos, outras consequências ao organismo podem acontecer, como o aumento do cálcio no sangue, diminuição da glicose no corpo, aumento da mama em homens ou redução dos testículos, aumento dos glóbulos vermelhos no sangue ou altos níveis de colesterol.

É importante salientar que estes sintomas não predefinem nenhuma doença específica e que o autodiagnóstico não é uma prática recomendada em nenhuma hipótese.

Ao perceber o surgimento de sintomas ou de quaisquer outros indícios de que há algo de errado com nossa saúde, é necessário buscar ajuda médica imediata. Quanto mais cedo o médico puder diagnosticar a doença, mais rápido o tratamento poderá ser iniciado, aumentando significativamente as chances de cura.

Tratamentos para a doença


O único tratamento existente para curar esse tipo de câncer é a cirurgia. A operação em questão é complexa e depende da localização e extensão do tumor. A cirurgia, por ser muito delicada, precisa ser realizada por um médico experiente em um grande centro cirúrgico.

No caso da doença intra-hepática, é realizada uma hepatectomia parcial. Essa intervenção cirúrgica remove parte do fígado onde está localizado o câncer.

Já na situação da perihilar, a cirurgia mais extensa e costuma envolver a remoção de parte do fígado junto ao ducto biliar, à vesícula biliar, aos gânglios linfáticos e até mesmo de parte do pâncreas e do intestino delgado.

E no caso do câncer distal, o cirurgião acaba, muitas vezes, precisando remover parte do pâncreas e do intestino delgado. Essa operação é popularmente conhecida como procedimento de Whipple.

É preciso lembrar que todas as cirurgias apresentam algum risco, mas seu resultado costuma depender da extensão da intervenção e do quadro de saúde do paciente.
Postagem Anterior Próxima Postagem