Hospitais: como manter a higiene em dia

Se existe uma coisa que é muito importante dentro de um ambiente da área da saúde, como um hospital, por exemplo, é a higiene. Isso porque, lá dentro, as pessoas que procuram o atendimento médico merecem o melhor, merecem se sentir seguras, e a higiene do ambiente faz toda a diferença neste quesito.

A higienização hospitalar correta não garante apenas a segurança dos pacientes, mas também o bem estar deles, e de todos os profissionais que ali atuam, bem como de suas famílias.

Dessa forma, o serviço de limpeza dentro de um hospital deve ser tratado com o máximo de respeito, dado o tamanho da sua importância. Pois além de prevenir infecções e contaminações, garante um ambiente limpo, calmo e seguro para os profissionais atuarem, e para os pacientes se curarem. 

Se você quer saber um pouco mais sobre como manter a higiene de um hospital em dia, e como você pode fazer a sua parte para garantir isso, este artigo foi feito especialmente para você. Então continue lendo, e saiba mais a respeito da higienização hospitalar adequada.

3 práticas que são essenciais para manter a higiene hospitalar

Agora que falamos um pouco sobre a importância de manter um hospital sempre muito bem higienizado, decidimos listar algumas práticas que são essenciais, e que devem ser seguidas sempre, para manter a higiene hospitalar da melhor maneira possível. Confira a seguir. 

Adotar um padrão de qualidade de higiene

Em primeiro lugar, para que seja possível implementar uma prática eficaz e eficiente de higienização no hospital, é necessário implementar primeiro um padrão de qualidade, e cuidar para que todos os colaboradores sigam este padrão de qualidade que será implementado. 

Todos os hospitais precisam seguir à risca um manual que os informa a respeito de todos os padrões de qualidade em relação a higiene do hospital que devem ser seguidos, visto que todos são testados e aprovados.

Estes citados padrões de qualidade em relação a higiene hospitalar são muitos, mas veja abaixo quais são alguns dos principais que todos devem se atentar:

  • O hospital deve conter uma boa estrutura física que comporte um local específico para o descarte de todo resíduo hospitalar, onde contenha o chamado “expurgo hospitalar”, que são cubas em aço inox próprias para isso;
  • É necessário que o hospital contenha todos os materiais necessários para cada tipo de limpeza, bem como um local específico para guardá-los;
  • Todos os colaboradores, não somente os profissionais da limpeza, precisam estar por dentro das normas e rotinas de higienização do hospital;
  • Os profissionais que realizam a higienização do hospital devem ser capacitados e devidamente treinados para este tipo específico de limpeza.

Colaboração dos profissionais da saúde

A higienização do hospital como um todo não depende única e exclusivamente dos profissionais da limpeza, mas também de todos os colaboradores, profissionais da saúde e, inclusive, dos pacientes e seus respectivos visitantes. 

Sendo assim, os profissionais da saúde também precisam receber o devido treinamento, e seguir todas as normas de higiene que cabem a eles, incluindo a higienização das mãos antes e depois da realização de procedimentos, e da separação dos resíduos. 

Os pacientes também precisam saber quais são as normas de higiene que os profissionais devem seguir, para que consigam prestar atenção se os profissionais que estão cuidando deles, estão seguindo devidamente todas as regras impostas.

Se todos fizerem a sua parte e colaborarem, o ambiente hospitalar será muito mais higiênico e seguro para todos.

Uso indispensável dos EPI’s

Por último, é preciso falar sobre o uso dos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) que todo profissional da saúde, demais funcionários e, até mesmo, alguns visitantes devem usar para garantir não somente a higiene e proteção deles, mas também dos pacientes e de todas as pessoas a sua volta.

Os equipamentos de proteção individual que não podem deixar de serem utilizados dentro de um hospital para garantir tudo que mencionamos acima são:

  • Luvas: as luvas são um tipo de EPI descartável e que deve ser utilizado sempre que necessário e trocadas a cada utilização. Contudo, não substituem a necessidade da lavagem de mãos, que deve ser feita de acordo com um determinado procedimento hospitalar;
  • Máscara: as máscaras devem sempre ser utilizadas quando algum tipo de procedimento asséptico for ser realizado, incluindo aqueles onde há contato com secreções. Alguns visitantes também devem utilizá-las para visitar outros pacientes, dependendo do caso;
  • Avental (capote): quando existe a possibilidade de algum tipo de resíduo corporal espirrar no profissional, como urina, fezes ou sangue, por exemplo, é necessário se proteger utilizando um avental, ou quando algum tipo de aerossol for ser utilizado.

Compreender exatamente a importância da higiene nos hospitais e sabem como mantê-la seguindo sempre os procedimentos corretos, é essencial para que seja possível prestar um bom atendimento a toda a população que necessita de algum tipo de serviço hospitalar.

Hospitais