Como ajudar um dependente químico a aceitar o tratamento?

Muitas pessoas em todo o mundo sofrem com o uso e abuso de substâncias lícitas e ilícitas como álcool e drogas em geral. Este é um cenário bem triste, e que com certeza precisa ser mais discutido, principalmente porque não é apenas o usuário que sofre, mas também toda a sua família e pessoas próximas que se importam.

Algumas pessoas que são dependentes químicas, algumas vezes, conseguem reconhecer que estão precisando de ajuda e recorrem a família e amigos mais próximos para conseguir o apoio que precisam, para encontrar uma clínica e um tratamento de reabilitação adequados. 

No entanto, infelizmente, a realidade da grande maioria das famílias que possuem pessoas dependentes químicas é bem diferente. Raramente os usuários reconhecem que tem um problema e aceitam a ajuda das outras pessoas.

Na verdade, diversas vezes, eles dizem que está tudo sob controle e que eles “podem parar quando quiserem”. Essa é uma fala muito comum, e se você possui um dependente químico na família, com certeza já a ouviu mais de uma vez. 

Oferecer ajuda a um dependente químico nem sempre é fácil, especialmente porque é muito delicado conversar com uma pessoa que está sob essa condição, pois caso ela esteja no momento da conversa sob o efeito da droga, ela pode se tornar agressiva ou ter outras reações perigosas e inesperadas.

Por conta disso, caso você esteja pensando em oferecer ajuda para alguém que é usuário de drogas, o qual é uma pessoa muito importante para você, antes de ir falar com ela, precisa saber exatamente qual é a maneira certa de iniciar uma conversa sem que a pessoa se sinta ofendida ou julgada. 

Então, pensando em te ajudar com isso, preparamos este artigo completo com algumas dicas que vão te ajudar a saber melhor como conversar com a pessoa querida que é dependente química. Assim, se você seguir essas dicas, terá muito mais chances de fazer com que a pessoa aceite que tem uma doença e que precisa de tratamento.

Converse com o dependente em um lugar calmo

A primeira coisa que você precisa fazer é encontrar um lugar neutro e confortável para conversar com a pessoa, ou algum lugar que você sabe que faz bem para ela, como um local onde você a levava quando ela era pequena, por exemplo.

Pode ser em um parque, em uma sorveteria ou em casa mesmo, desde que seja um lugar onde a pessoa se sinta acolhida. Um lugar onde ela ficará bem quando vocês iniciarem essa conversa difícil. 

Além disso, certifique-se de escolher o lugar certo perguntando para a pessoa se ela está se sentindo bem ali ou se ela prefere conversar em outro lugar. Acredite, este é um passo importante.

Cuidado com as palavras: saiba apoiá-lo

Quando iniciarem a conversa, tente não ofender a pessoa. Não a deixe mal, pois acredite, ela já estará se sentindo triste, culpada e muitas outras coisas que não podemos nem imaginar. 

Sendo assim, use palavras de conforto, de apoio, de aconchego e palavras amorosas, que façam a pessoa perceber que você está ali ao lado dela e sempre vai estar. 

Palavras que a façam perceber que ela não está sozinha, e que você, e toda a família, estão ali para ajudá-la e apoiá-la sempre.

Não faça acusações

Você também não deve fazer nenhum tipo de acusação, pois neste momento muito delicado, qualquer coisa que você disser errado pode piorar toda a situação. Então, saiba medir as palavras, tente compreender o lado da pessoa e dê a ela todo o apoio que ela precisa neste momento, sem nenhum tipo de julgamento.

Fale com ele sobre o tratamento

Por fim, mas não menos importante, após a pessoa ter aceitado que tem uma doença e que precisa de ajuda, chegou a hora de falar com ela sobre o tratamento, que pode ser a parte mais difícil de todas dessa conversa.

Aqui, você precisa explicar que o sucesso do tratamento dependerá não somente da clínica e dos profissionais, mas principalmente da força de vontade e da determinação dela. Afinal de contas, ela precisa querer melhorar, pois não há como ajudar uma pessoa que não demonstra querer ser ajudada.

A nossa sugestão é que você proponha a ela o tratamento com ibogaína, o qual é o que possui maior taxa de sucesso quando comparados aos tratamentos convencionais.

Além disso, neste tratamento, a pessoa não precisa ficar meses internada, pois basta uma estadia de 5 a 7 dias na clínica para que o tratamento faça efeito. O uso de vários remédios psicotrópicos também é excluído, visto que o tratamento é realizado apenas com cápsulas de ibogaína. 

Se você seguir todas as nossas dicas de como conversar com um dependente químico que precisa de ajuda, será muito mais fácil convencê-lo a aceitar o tratamento que ele precisa.

Como ajudar um dependente químico a aceitar o tratamento