Bactérias podem causar espinhas?

Problemas com acne acontecem por diversas razões e a presença de bactérias está ligada a isso.

Bactérias podem causar espinhas

Espinhas são o grande terror de muita gente e não é por menos. Além da questão estética, é comum haver dores e desconfortos por conta delas. Alguns casos, inclusive, exigem tratamento dermatológico mais atencioso e até uso de remédios.
 
As causas das espinhas são variadas e dependem de pessoa para pessoa, mas algumas razões são bastante comuns, como é o caso das espinhas surgidas por bactérias. Pouca gente sabe, mas uma pele sem os devidos cuidados pode ser o espaço perfeito para microorganismos se proliferarem e causarem a acne.
 

As principais causas das espinhas


De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), as espinhas e os cravos surgem devido a um processo inflamatório das glândulas sebáceas presentes na pele. Elas começam a surgir durante a adolescência, pois é nesse momento que alguns tipos de hormônios começam a ser produzidos e contribuem para o surgimento da acne, que pode acompanhar o indivíduo até a idade adulta.

Um dos pontos mais importantes quando se fala em acne é que suas causas podem variar muito. Vale lembrar que isso é uma questão de saúde que requer acompanhamento especializado, principalmente em casos mais graves.

Entre os principais fatores para o surgimento das espinhas estão:

  • hormônios desregulados;
  • alimentação desequilibrada;
  • reação a medicamentos, como corticoides e vitaminas do complexo B;
  • limpeza incorreta da pele;
  • exposição exagerada ao sol;
  • uso de produtos gordurosos na pele;
  • predisposição genética;
  • contato com bactéria causadora de acne.

A acne também é considerada um problema de saúde multifatorial, indicando que geralmente é a combinação de diversos fatores que fazem com que ocorram as inflamações nas glândulas sebáceas.
 

Cutibacterium acnes, a bactéria que pode causar acne


Como foi visto, uma das razões que podem levar a um quadro excessivo de cravos e espinhas é um tipo de bactéria, a Cutibacterium acnes. Essa de bactéria se prolifera em ambientes com grande quantidade de sebo e queratina.

Como muitos dos fatores citados causam o aumento da produção de sebo, isso faz com que a pele se torne um lugar perfeito para essa bactéria. Ao entrar em contato com as glândulas sebáceas, a C. acnes estimula o efeito inflamatório, já que a pele começa seu processo de defesa contra ela.

Ou seja: é sim possível que a inflamação seja causada por essa bactéria, o que exige cuidado redobrado tanto com a rotina de cuidados com a pele quanto com tratamentos dermatológicos.

Tratamentos e como se prevenir


Assim como as causas da acne são diversas e multifatoriais, seus tratamentos também são. Segundo a SBD, a acne exige cuidados especiais que variam de tratamento tópico (como sabonetes, cremes e ácidos) e medicamentosos (geralmente em casos hormonais ou causados por bactérias).

Além do tratamento comum, a SBD também afirma que muitas vezes é preciso ter um cuidado multidisciplinar, contando com cuidados estéticos, acompanhamento hormonal e até nutricional. Para tudo isso e, principalmente em casos mais graves e com acne persistente, é preciso procurar ajuda médica.

Os cuidados diários com a pele podem contribuir para a diminuição ou controle de cravos e espinhas, sobretudo quando as razões são externas. Entre os principais modos de prevenção indicados estão:

  • limpeza adequada (cerca de 2 vezes ao dia) com sabonete próprio para pele acneica;
  • evitar cosméticos e produtos oleosos e que aumentem o sebo na pele;
  • evitar exposição ao sol;
  • manter-se hidratado (consumindo cerca de 2 litros de água por dia).

A pele é o órgão mais importante do ser humano, pois é a primeira barreira contra as adversidades do mundo. Por isso, segundo a SBD, cuidar da pele é algo importante não apenas para o bem-estar e estética, mas também para a saúde de maneira geral.
Postagem Anterior Próxima Postagem